A felicidade tem novo lugar, Clube Quinta da Ribeira, o teu Clube Premium.

93 442 14 63 «Chamada para rede móvel nacional»
252 117 533 «Chamada para rede fixa nacional» info@clubequintadaribeira.pt Rua do Rio Pele 51B 4770-217 Joane - V. N. Famalicão Seg - Sex 7h30 - 22h, Sáb 9h30 - 13h / 15h-19h30
Siga-nos
Image Alt

Clube Quinta da Ribeira

Testes de intolerância alimentar: Fiáveis? Sim ou não?

Serão os testes de intolerância alimentar realmente fiáveis?

Primeiramente é importante definir intolerância alimentar. Estamos perante uma intolerância alimentar quando ocorre reações adversas aos alimentos, não envolvendo o sistema imunitário, provavelmente devido a uma deficiência enzimática, como é o caso da intolerância à lactose. São assim, produzidas substâncias que o organismo reconhece como estranhas, causando uma reação de sensibilidade alimentar. A maioria das pessoas acaba por confundir intolerância alimentar com alergia alimentar e por isso mesmo, define-se alergia alimentar como reações adversas aos alimentos que são mediadas pelo sistema imunitário. O que abordaremos hoje trata-se então de intolerância alimentar e não alergia.

 

O que são os testes de intolerância alimentar?

Este exame testa mais de 200 alimentos que são posteriormente, associados a uma cor. Pesquisa-se o nível de anticorpos do tipo IgG produzidos pelo nosso sistema imunológico como resposta contra alguns constituintes presentes nos alimentos. Para além disso, estes testes pesquisam o mesmo tipo de anticorpos, mas neste caso, dirigidos contra aditivos e conservantes presentes nos alimentos. Assim sendo, nos testes de intolerância alimentar são determinadas IgG/IgG4 específicas para um conjunto extenso de alimentos e aditivos, que habitualmente apenas identificam a EXPOSIÇÃO prévia ao alimento sendo isso, nada mais que uma resposta fisiológica (normal) do nosso organismo.

A Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC) alerta que “a interpretação destes resultados, sem integração numa avaliação clínica apropriada, pode traduzir-se em consequências de extrema gravidade, levando a grandes restrições dietéticas com consequências nutricionais, metabólicas e impacto significativo na
qualidade de vida, ainda mais grave quando envolve um grupo particularmente sensível aos desequilíbrios alimentares como são as crianças”.
Para além disso, estes testes estão associados a custos elevados e são muitas vezes realizados por pessoas não qualificadas o que pode levar a erros de diagnóstico graves e acarretar riscos para a saúde da população.
Realço ainda uma citação realizada pelo Conselho Jurisdicional (CJ) da Ordem dos Nutricionistas que está disponível no site do mesmo relativamente aos testes de intolerância alimentar: “ O CJinforma que os nutricionistas que aplicam este tipo de testes estão a exercer a profissão sem a devida sustentação científica, não respeitando os interesses do cliente, pelo que atuam em violação do preceituado no Código Deontológico da Ordem dos Nutricionistas, não prestigiando nem dignificando a profissão.”

Os testes de intolerância alimentar não têm qualquer fundamentação científica, são realizados geralmente por pessoas sem qualquer tipo de formação da área, são caros e não têm qualquer reprodutibilidade (isto é, se realizar o teste duas vezes os resultados serão diferentes nas duas vezes). Como profissional de saúde e totalmente suportada pela
evidência científica atual não aconselho a realização destes testes que são apenas mais uma forma de enganar o cliente levando a dietas estapafúrdias e sobretudo extremamente rigorosas que podem vir a ter consequências gravíssimas!

A Nutricionista:
Cátia Pinto Lopes (C.P.3423N)

ADD COMMENT